Skip to Content

FIDEL CASTRO: BIOGRAFIA A DUAS VOZES

Fruto de longas conversas realizadas pontualmente em alturas diferentes, entre finais de Janeiro de 2003 e Dezembro de 2005, resultando numa série de entrevistas que duraram mais de cem horas, cujo principal interlocutor é o chefe de Estado que há mais tempo exerce o seu cargo em Cuba desde a sua Revolução de há 46 anos.É ao responder extensivamente com excelente retórica e poder argumentativo às questões colocadas por Ignacio Ramonet, jornalista, sociólogo e uma das vozes mais representativas do movimento antiglobalização, Fidel Castro expõe, mesmo revelando factos até agora inéditos, nesta biografia humana e política, como conseguiu iniciar a Revolução e liderar o seu país até hoje, cujo regime político tem permanecido, resistido e sobrevivido estoicamente aos ventos de mudança que varreram o mundo geopolítico, nos finais do século XX, desde o fim da Guerra Fria, passando pelo colapso da União Soviética até à queda do “Bloco de Leste” consubstanciada no fracasso do socialismo autoritário, não se deixando abater pelo “efeito dominó” apesar da ligação politica umbilicalmente existente com a antiga União Soviética. E também como a Revolução Cubana tem conseguido manter-se firme face às tentativas de derrube, eliminação do seu líder, de mudança de rumo do seu regime político, e mais concretamente ao embargo comercial (reforçado nos anos 90) imposto com êxito pelo mais directo opositor político-ideológico de há longa data (há mais de 40 anos), nomeadamente a vizinha superpotência Estados Unidos da América, qual réplica da luta de David contra Golias!


No Outono da sua vida, através desta obra a 2 vozes, com uma impressionante lucidez e eloquência, não obstante a sua invejável e avançada idade, dá a conhecer ao entrevistador a história do seu País desde a primeira Guerra da Independência (1868) à génese da Revolução (1953) e o seu percurso pessoal, a partir da a sua infância até à actualidade, como rebelde, revolucionário, líder, pensador e analista político, que inexoravelmente esteve intimamente associado à história e evolução do seu país nos últimos 50 anos com as suas lutas internas e externas.
Fidel Castro, esse “monstro sagrado” da política internacional, revela também a sua atitude e opinião sobre a “Crise dos Mísseis” (Outubro de 1962), globalização neoliberal, a guerra no Iraque e George Walker Bush.
A sua relação com Che Guevara é também explanada, como também a sua impressão causada pelo papa João Paulo II aquando a sua visita a Cuba, em 1998.



artigos | by Dr. Radut