Skip to Content

TOMÁS DIAS - GRAVADOR

A chapa é a matriz de uma gravura. Mas quando essa chapa, esse “carimbo”, é fruto da elaboração e manipulação minuciosa de um artista, temos um “original” – uma matriz – de onde surgirão as imagens que levarão eventualmente um título, uma assinatura, a data e a numeração que a identificam dentro da produção desse artista: torna-se então uma Obra de Arte.
É na passagem do suporte onde o artista registou a obra, a chapa/matriz, para o papel, o múltiplo, onde a mesma é fielmente reproduzida que surge a figura do técnico de gravura, tão essencial para o resultado final, quanto o é a técnica do artista na produção de um original.


Tomás Dias é técnico de gravura desde “sempre”. Pelas suas mãos e pela sua prensa passaram criações de alguns dos mais representativos artistas plásticos do Portugal da segunda metade do século XX e primeira década deste século, com uma regularidade que traduz, melhor do que qualquer outro indicador, a qualidade do seu trabalho e o respeito dos artistas pelos resultados. O seu labor continuará, estamos certos, por muitos mais anos e muita obra gráfica a produzir, mas este é um bom momento para apresentar uma selecção de trabalhos ilustrativos do tempo e do valor do percurso de Tomás Dias.
Tomás Dias pertence, hoje, ao quadro de profissionais da Escola Artística e Profissional Árvore. Assim sendo, a Escola não poderia fazer outra coisa (e fá-lo com todo o gosto) senão associar-se ao momento e, com o inestimável apoio da NORPRINT – Artes Gráficas, promover a edição deste catálogo.

 



artigos | by Dr. Radut