Skip to Content

20 ANOS NORPRINT

A celebrar 20 anos, a Norprint é uma empresa de artes gráficas, dedicada à impressão offset e acabamento de livros, catálogos, brochuras, desdobráveis, folhetos, revistas e agendas, mas sobretudo
livros. A história podia resumir-se assim, mas, tal como nos livros, seria pouco ...
Com sede em Santo Tirso, a Norprint tem como paixão principal o livro.
Surge em 1992, quando quatro profissionais decidiram avançar com um novo projeto gráfico: - "Começou numa fase difícil, na crise de 92/93, mas o grupo já tinha muita experiência neste setor, pois
vínhamos do ramo e assim decidimos continuar posicionando-nos num mercado que conhecíamos bem", lembra Lopes de Castro, um dos fundadores da empresa e presidente da Direção Executiva da
Região Norte da APIGRAF (Associação Portuguesa das Indústrias Gráficas de Comunicação Visual e Transformadora de Papel). Assim, a empresa acaba por ser a responsável por uma nova realidade em
Santo Tirso na área da arte gráfica, já que ditou alguns destinos dentro desta área, tal como revela o empresário: "O Instituto de Formação de Santo Tirso lançou o desafio à Norprint para fazer um curso de artes gráficas".
o porquê de "Casa do livro"
A designação surgiu há dez anos, pela escritora Lídia Jorge, durante o "Correntes de Escrita", evento que decorre há 14 anos, na Póvoa de Varzim e que a Norprint apoia desde sempre, como revela orgulhoso Lopes de Castro: "Estamos desde o primeiro momento com eles".
Foi por essa altura que a escritora Lídia Jorge disse, dentro das instalações da Norprint, no meio da pulsação das máquinas, que se sentia bem dentro da Casa do Livro, "no dia seguinte registei a marca",
adianta Lopes de Castro. O apelido ficou e inspirou até o pintor e escultor José Maia que pintou um quadro alusivo a esta ideia, obra que acabou por oferecer à empresa.
Os 20 anos da Norprint ou Casa do Livro estão impressos num longo percurso cheio de história. Para fazer jus à nobreza da sua atividade, a empresa tem sabido acompanhar a evolução tecnológica das artes gráficas de finais do século XX e inícios do século XXI e, assim responder à exigência .do mercado. Lopes de Castro reconhece: "O tipo de mercado que sempre procuramos é um mercado que não nos deixa adormecer, obriga-nos permanentemente a inovar, a estar muito próximo das novas
tecnologias" .
A Norprint e os mercados
Para ter acesso às novas tecnologias e assim estar a par da evolução, a Norprint é frequentadora de todas as feiras internacionais, de modo a dar resposta às exigências do seu mercado externo:
Espanha, França, Inglaterra, Finlândia, Noruega, Suécia, Dinamarca, Moçambique e Angola. Mas, adianta Lopes de Castro, Portugal também é exigente: "Felizmente, e isto é um fenómeno interessante,
estamos a ter clientes no mercado interno com a mesma exigência".
o livro e o atual paradigma
Na era da informação digital, são muitas as vozes que acendem à discussão da viabilidade do Livro e da palavra impressa. O que vai acontecer ao livro? Lopes de Castro conjetura: "Creio que o livro vai continuar, poderão ocorrer alguns fenómenos, mas o livro não perderá força. Toda esta alteração
de paradigma da relação das pessoas com o papel vai ter um ajustamento e, algures, não sabemos quando, vão conviver todos, novas tecnologias e papel vão complementar-se. Ninguém prescinde da
maneabilidade, do cheiro, do contacto".
Celebrar 20 anos
Para assinalar o seu aniversárIo, a Norprint vai fazer uma edição especial do livro "500 anos da Tipografia", de um autor já falecido - Manuel Pereira da Silva. "Será feita uma edição de luxo desta obra para, dessa forma, assinalar os 20 anos da Norprint e o lançamento ocorrerá no Museu da Imprensa, no
Porto", revela Lopes de Castro .
A impressão offset e acabamento de livros continuará a ser a base do negócio da Norprint que se diferencia não só pela qualidade, como pelas relações que estabelece com o cliente, tal como atesta Lopes de Castro: "As relações são o nosso mundo e o nosso mundo é o livro".

 



artigos | by Dr. Radut